MPF/MG: condenado grupo que assaltou agência dos Correios em Veríssimo

O Ministério Público Federal em Minas Gerais (MPF/MG) obteve a condenação de quatro pessoas por crime de roubo qualificado (artigo 157, §§ 1º 2º, I e II, do Código Penal). Jorge Wálter Dias Tosta, Fernando Alípio Ribeiro dos Passos, Guilherme Vilas Boas e Pablo Henrique de Brito Orício assaltaram uma agência dos Correios na cidade de Veríssimo, no Triângulo Mineiro, a cerca de 40 km de Uberaba.
 
Jorge Wálter, recebeu pena de 12 anos, 2 meses e 3 dias de prisão, além de pagamento de 155 dias-multa; Fernando Alípio foi condenado a 10 anos, 11 meses e 7 dias e pagamento de 151 dias-multa; Guilherme Vilas Boas, a 7 anos e 6 meses e pagamento de 90 dias-multa; e Pablo Henrique, a 7 anos, 5 meses e 15 dias e pagamento de 87 dias-multa. Eles também foram condenados a reparar o dano no valor de R$ 6.108,75 (diferença entre o valor subtraído e o recuperado), que deve ser revertido em prol dos Correios.
 
Crime - No dia 19 de junho, os quatro acusados assaltaram a agência de correios em Veríssimo. Guilherme foi o motorista e aguardava com um veículo próximo da agência enquanto os outros três entraram e realizaram o assalto, rendendo funcionários e clientes sob ameaça de arma de fogo, que estava com Jorge Wálter. Na sequência, obrigaram o gerente da agência a abrir o cofre e de lá retiraram R$ 16.816,65, levando ainda dinheiro e celulares dos clientes.
 
Na fuga, os acusados conseguiram furar dois bloqueios policiais e dispararam contra os policiais. Ao chegarem em Uberaba, o pneu do carro furou e os quatro tentaram fugir a pé, mas acabaram presos em flagrante pela Polícia Militar.
 
Durante o processo, os três assaltantes tentaram isentar Guilherme Vilas Boas, dizendo que ele fora chamado apenas para buscá-los na cidade de Veríssimo e que nada sabia do assalto, só tomando conhecimento do crime em Uberaba. Durante o inquérito, no entanto, haviam confessado que todos estavam presentes na noite anterior ao crime, inclusive Guilherme, que ficara responsável pela fuga.
 
No julgamento, Jorge Wálter, Fernando Alípio e Pablo Henrique mudaram a versão apresentada na confissão e tentaram argumentar que fugiram de ônibus até Uberaba e só lá encontraram com Guilherme. No entanto, ao serem questionados, não souberam responder o ônibus usado para a fuga ou mesmo o preço da passagem.
 
Contradições - 
Para o juízo federal, as retratações apresentadas pelos acusados eram frágeis e foram reforçadas pelas contradições da "contratação" de Guilherme Vilas Boas. "A fragilidade das retratações é adensada pelas contradições acerca do local em que a ligação telefônica teria se realizado (dentro ou fora da agência dos Correios) e pelo desencontro entre o comportamento assumido ulteriormente ao roubo, teriam perambulado pela cidade (algo deveras improvável) ou se homiziado em casa abandonada (cuja localização ou características não foram explicitadas)".
 
Ainda na sentença, o magistrado reconheceu que os réus agiram coordenados e que cada um tinha sua função na execução do assalto. "Como se vê, os réus, em regime de cooperação mútua, com divisão de tarefas, operaram mediante grave ameaça (exercida com arma de fogo), a subtração de R$16.816,65 da agência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos do município de Veríssimo".

Ação Penal nº000486-78.2015.4.01.3802


Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Minas Gerais
Tel.: (31) 2123.9008 / 9010
No twitter: mpf_mg
 



Fonte: MPF
 

Seção: Notícias
Categoria: MPF

Como referenciar este conteúdo

NOTíCIAS,. MPF/MG: condenado grupo que assaltou agência dos Correios em Veríssimo. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 10 Nov. 2015. Disponível em: investidura.com.br/noticias/228-mpf/333776-mpf-mg:-condenado-grupo-que-assaltou-agencia-dos-correios-em-verissimo. Acesso em: 18 Nov. 2018

 

ENVIE SEU ARTIGO