A formulação do problema precisa constar no projeto de pesquisa?

A construção de um projeto de pesquisa é o momento em que grande parte dos estudantes, em qual nível de formação acadêmica, tem dúvidas sobre a sua estrutura, suas formalidades e como proceder.

 

De início, tem-se que todo projeto acadêmico e científico digno de ser publicado deve respeitar algumas formalidades pré-estabelecidas, para que possam ser reproduzidas pela sociedade. Ou seja, a produção acadêmica não é algo individual e egoísta, onde as formalidades podem ser dispensadas em proveito da matéria em si, mas um trabalho útil e que engrandece a comunidade científica.

 

Dentre as formalidades pré-estabelecidas que devem ser respeitadas está a formulação do problema, que é um requisito estrutural imprescindível a qualquer projeto de pesquisa. Nesse sentido, Cleber Cristiano Prodanov e Ernani Cesar de Freitas afirmam que a formulação do problema serve para esclarecer a dificuldade específica que será enfrentada e que o autor do projeto pretenderá resolver por intermédio da pesquisa (FREITAS; PRODANOV, 2013, p. 121).

 

No entanto, Antonio Carlos Gil afirma que nem todo problema formulado é passível de tratamento científico. Para que isso ocorra, é preciso que o problema se enquadre na categoria de científico (GIL, 2002, p. 23).

 

Um método para verificar se o problema formulado pode ser tratado como científico, ou seja, se ele possui validade científica, é confrontá-lo com cinco questões.

 

A primeira delas é verificar se o problema pode ser enunciado em forma de pergunta; Em seguida, é preciso ver se o problema corresponde a interesses pessoais, sociais e científicos (de conteúdo e metodológicos), bem como verificar se eles estão harmonizados entre si. Em terceiro lugar, é importante que o problema corresponda a uma questão científica, ou seja, se existem duas variáveis que se relacionam entre si. Em penúltimo lugar, é preciso verificar se o problema pode ser objeto de investigação sistemática, controlada e crítica. Por fim, é imprescindível verificar se as consequências desse problema podem ser empiricamente verificadas, ou seja, se é possível aferir os resultados decorrentes do problema de maneira concreta, através de experiências. Caso a resposta seja afirmativa em todas as hipóteses, sem exceção, o problema formulado possui validade científica (FREITAS; PRODANOV, 2013, p. 121).

 

Em síntese, tem-se que o problema não só precisa como deve estar presente em um projeto, pois somente assim é que ele passa a ter validade científica e importância, bem como relevância, para a comunidade científica.

 

Eduardo André Carvalho Schiefler – Acadêmico da 7ª fase de Direito da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC 


Como referenciar este conteúdo

SCHIEFLER, Eduardo André Carvalho. A formulação do problema precisa constar no projeto de pesquisa?. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 11 Abr. 2017. Disponível em: investidura.com.br/biblioteca-juridica/resumos/metodologia-da-pesquisa/335608-a-formulacao-do-problema-precisa-constar-no-projeto-de-pesquisa. Acesso em: 17 Nov. 2017

 

familia-inv

112 modelos ncc-peq

peticoes-trabalhistas-2017-PEQ