Somos protagonistas? #DepartamentoasQuintas | Portal Jurídico Investidura - Direito

Somos protagonistas? #DepartamentoasQuintas

Ser protagonista, ser dono do seu próprio nariz. Agora também podemos ser protagonistas trabalhando num departamento jurídico, sendo líderes de outras pessoas e principalmente sendo líderes de nós mesmos.

Ser protagonista não necessita ser o seu próprio negócio, mas ser líder de si mesmo.

Um texto do Flavio Augusto demonstra com clareza esta ideia:

Como pensa um protagonista

(Por Flávio Augusto)

Um protagonista pensa assim:

Nem sempre somos culpados, porém, sempre somos responsáveis pelo que acontece em nossa vida.

Responsabilidade é diferente de culpa.

Se algo ruim acontece, ele logo pensa: o que eu poderia ter feito diferente para ter evitado esse problema? Confiei demais? Não conferi como deveria? Não dei a atenção necessária? Fui consumista? Escolhi as pessoas erradas para estarem ao meu lado? Em algum momento, flexibilizei os meus valores?

Aí alguém pode dizer: “mas, Flávio, o fulano me roubou! Que responsabilidade eu tenho nisso?”.

Quem escolheu o fulano para estar ao seu lado? Confiou demais? Conferiu? Deu liberdade demais? Criou os processos necessários para auditá-lo? Fez follow up periódico?

Quem puxa para si a responsabilidade ganha a oportunidade de aprender com todas as situações boas ou ruins que acontecem na vida. Esse é o estilo de vida escolhido por quem não quer ser refém das circunstâncias e quer estar à frente do comportamento comum das grandes massas, porque deseja conquistar resultados acima da média.

Quando assumimos a responsabilidade, também assumimos o poder de criarmos a solução. Quando terceirizamos a responsabilidade, abrimos mão de sermos o agente da solução.

 

 Qualquer postura diferente de assumirmos nossas responsabilidades, sendo protagonistas, tem outro nome: vitimismo.

Numa empresa, protagonistas têm futuro. Vitimistas não saem do lugar por um motivo muito simples: o mundo precisa urgentemente de gente que gere soluções e não de pessoas que só apontam o dedo para arrumar culpados pelos seus problemas.

Fonte: http://geracaodevalor.com/blog/como-pensa-um-protagonista/

Qual seu papel dentro da empresa? Você assume responsabilidades?

Se perde um prazo, arranja um culpado com perguntas do tipo Quem perdeu? Quem deixou de fazer? Quem não cobrou? Ou procura compreender as responsabilidades do líder que não conferiu também o fluxo para gerar segurança a todo processo (o que não quer dizer que a perda do prazo por quem não fez não seja importante, mas criar um ambiente de vitimas e algozes não soluciona nada).

Precisamos de protagonistas da vida e não platéia para o sucesso alheio.

Quer sucesso? SEJA o sucesso.

____________________________________________________

Sou Gustavo Rocha

CEO da Consultoria GustavoRocha.com – Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos

(51) 98163.3333  |  gustavo@gustavorocha.com  | http://www.gustavorocha.com


Como referenciar este conteúdo

ROCHA, Gustavo. Somos protagonistas? #DepartamentoasQuintas. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 23 Ago. 2017. Disponível em: www.investidura.com.br/biblioteca-juridica/colunas/gestao-tecnologia-e-qualidade/335969-somos-protagonistas-departamentoasquintas. Acesso em: 19 Set. 2017

112 modelos ncc-peq

peticoes-trabalhistas-2017-PEQ