Em 31/12/10 a dívida interna da União era de R$ 2,3 trilhões. Crescimento real em relação ao PIB de 15,18%, em comparaçã

Em 31/12/10 a dívida interna da União era de R$ 2,3 trilhões. Crescimento real em relação ao PIB de 15,18%, em comparação a 31/12/02.

Se os opositores do governo Lula se indignam,  como a Senhora Cláudia,  citando que a dívida interna está acima de R$ 1 trilhão. Imaginem se esses opositores tivessem preocupação com a verdade absoluta dos números e viessem saber, que a tal dívida interna fechou em 31/12/10 no montante de R$ 2.297,9 bilhões, ou como queiram em R$ 2,3 trilhões, conforme quadro demonstrativo abaixo.

Quanto ao citado empréstimo ao FMI, o Brasil nada mais fez do que uma operação normal e rotineira de um adiantamento para futuro aumento da sua participação na cota do “DES” (Direto Especial de Saque). A única coisa nova e surpreendente nessa operação foi à transformação do Sr. Lula, um homem sempre radical pregando por 28 anos o “Fora FMI” ter mudado para a frase a seguir: “É chique emprestar ao FMI”. Com esse “marketing” o mercado financeiro internacional concedeu diversos prêmios internacionais ao Sr. Lula.

Dívida Líquida Total da União (Interna e Externa) - Fonte MF

Base: Ano de 2010

R$ bilhões.

Itens

1994

% PIB

2002

% PIB

2010

% PIB

Dívida Interna Em Poder do Mercado

32,1

9,19

558,9

37,82

1.603,9

45,75

Dívida Interna Em Poder do Banco Central

33,5

9,59

282,1

19,09

694,0

19,80

Dívida Externa Líquida

22,2

6,35

262,9

17,79

90,1

2,57

Dívida Total Líquida

87,8

25,13

1.103,9

74,70

2.388,0

68,12

Dívida Interna da União Total (em poder do mercado e em poder do Banco Central)

- Aumento nominal da dívida Interna em poder do mercado de R$ 32,1 bilhões (9,19% do PIB) em 1994 para R$ 558,9 bilhões (37,82% do PIB) em 2002. Aumento real em relação ao PIB de 311,53%

- Aumento nominal da dívida interna em poder do mercado de R$ 558,9 bilhões (37,82% do PIB) em 2002 para R$ 1.603,9 bilhões (45,75% do PIB) em 2010. Aumento real em relação ao PIB de 20,97%.

- Aumento nominal da dívida interna em poder do Banco Central de R$ 33,5 bilhões (9,59% do PIB) em 1994 para R$ 282,1 bilhões (19,09% do PIB) em 2002. Aumento real em relação ao PIB de 99,06%.

- Aumento nominal da dívida interna em poder do Banco Central de R$ 282,1 bilhões (19,09% do PIB) em 2002 para R$ 694,0 bilhões (19,80% do PIB) em 2010. Aumento real em relação ao PIB de 3,72%.

- Aumento nominal da dívida interna total (em poder do mercado e do Banco Central) de R$ 65,6 bilhões (18.78% do PIB) em 1994 para R$ 841,0 bilhões (56,91% do PIB) em 2002. Aumento real em relação ao PIB de 203,03%. Cabe lembrar que nesse período o governo federal assumiu todas as dívidas do estados e municípios, cujo valor atualizado com base em dezembro de 2010 era de R$ 471,7 bilhões (13,56% do PIB).

- Aumento nominal da dívida interna total (em poder do mercado e do Banco Central) de R$ 841,0 bilhões (56,91% do PIB) em 2002 para R$ 2.297,9 bilhões (65,55% do PIB) em 2010. Crescimento real em relação ao PIB de 15,18%.

Dívida Externa Líquida da União (Dívida Externa Bruta Menos Reservas)

- Aumento nominal de R$ 22,2 bilhões (6,35%do PIB) em 1994 para R$ 262,9 bilhões (17,79% do PIB) em 2002. Aumento real em relação ao PIB de 180,16%.

- Redução nominal de R$ 262,9 bilhões (17,79% do PIB) em 2002 para R$ 90,1 bilhões (2,57% do PIB) em 2010. Redução real em relação ao PIB de 85,55%.

Dívida Líquida Total da União (Interna e Externa)

- Aumento nominal de R$ 87,8 bilhões (25,13% do PIB) em 1994 para R$ 1.103,9 bilhões (74,70% do PIB) em 2002. Aumento real em relação ao PIB de 197,25%.

- Aumento nominal de R$ 1.103,9 bilhões (74,70% do PIB) em 2002 para R$ 2.388,0 bilhões (68,12% do PIB) em 2010. Redução real em relação ao PIB de 8,81%.

Arquivos oficiais do governo estão disponíveis aos leitores.

* Economista, formado em 1974 pela Faculdade Candido Mendes no Rio de Janeiro, com cursos de extensão em Engenharia Econômica pela UFRJ, no período de 1974/1976, e MBA Executivo em Finanças pelo IBMEC/RJ, no período de1988/1989. Membro da área internacional do Lloyds Bank (Rio de Janeiro e Citibank (Nova York e Rio de Janeiro). Exerceu diversos cargos executivos, na área financeira em empresas como Cosigua - Nuclebrás - Multifrabril - IESA Desde de 1996 reside em Florianópolis onde atua como consultor de empresas e palestrante, assessorando empresas da região sul.

(48) 4105-0832

(48) 9976-6974



Como referenciar este conteúdo

BERGAMINI, Ricardo. Em 31/12/10 a dívida interna da União era de R$ 2,3 trilhões. Crescimento real em relação ao PIB de 15,18%, em comparação a 31/12/02.. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 14 Mar. 2011. Disponível em: www.investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/economia/180208-em-311210-a-divida-interna-da-uniao-era-de-r-23-trilhoes-crescimento-real-em-relacao-ao-pib-de-1518-em-comparacao-a-311202. Acesso em: 25 Out. 2021

 

Receba nossos e-mails e infoprodutos jurídicos

 

 

ENVIE SEU ARTIGO