STJ decide que planos de previdência privada aberta (PGBL e VGBL) devem ser partilhados em divórcio | Portal Jurídico Invest

STJ decide que planos de previdência privada aberta (PGBL e VGBL) devem ser partilhados em divórcio

"Os valores foram caracterizados com natureza de investimento e, portanto, devem ser partilhados na dissolução do casamento.

Equipe Jurídica do escritório Schiefler Advocacia

familiaaNa última semana, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) botou uma pá de cal na controversa discussão a respeito da partilha de bens em planos de previdência privada aberta (VGBL e PGBL).

No voto, a Relatora, Ministra Nancy Andrighi, destaca que diferente da previdência privada fechada que possui entraves de natureza financeira e atuarial, a previdência aberta pode ser objeto de contratação por qualquer pessoa física ou jurídica, tratando-se de regime de capitalização no qual caberá ao investidor, com ampla liberdade e flexibilidade, deliberar sobre os valores de contribuição, resgates antecipados ou parcelamento até o fim da vida.

No entendimento da Turma, no período em que antecede a percepção dos valores, ou seja, durante as contribuições e formação do patrimônio, a natureza preponderante do contrato de previdência complementar aberta é de investimento, semelhante ao que ocorreria se os valores das contribuições e dos eventuais aportes fossem investidos em fundos de renda fixa ou na aquisição de ações.

Assim, para evitar distorções no regime de bens do casamento e também na sucessão, uma vez que bastaria ao investidor direcionar seus aportes para essa modalidade para frustrar eventual meação do cônjuge ou legítima dos herdeiros, os valores foram caracterizados com natureza de investimento e, portanto, devem ser partilhados na dissolução do casamento por não estarem abrangidos pela regra do artigo 1.659, inciso VII, do Código Civil[1].

E você, concorda com o posicionamento adotado pela Terceira Turma do STJ?

Fonte: Recurso Especial n. 1.698.774/RS (2017/0173928-2)

 https://ww2.stj.jus.br/websecstj/cgi/revista/REJ.cgi/ITA?seq=1975505&tipo=0&nreg=201701739282&SeqCgrmaSessao=&CodOrgaoJgdr=&dt=20200909&formato=PDF&salvar=false

Este artigo foi originalmente publicado em:  https://schiefler.adv.br/stj-decide-que-planos-de-previdencia-privada-aberta-pgbl-e-vgbl-devem-ser-partilhados-em-divorcio/



[1] CC. Art. 1.659. Excluem-se da comunhão: VII – as pensões, meios-soldos, montepios e outras rendas semelhantes.

Como referenciar este conteúdo

ADVOCACIA, Equipe Jurídica do escritório Schiefler. STJ decide que planos de previdência privada aberta (PGBL e VGBL) devem ser partilhados em divórcio. Portal Jurídico Investidura, Florianópolis/SC, 10 Set. 2020. Disponível em: investidura.com.br/biblioteca-juridica/artigos/direito-de-familia/338117-stj-decide-que-planos-de-previdencia-privada-aberta-pgbl-e-vgbl-devem-ser-partilhados-em-divorcio. Acesso em: 22 Set. 2020

 

Receba nossos e-mails e infoprodutos jurídicos

 

 

ENVIE SEU ARTIGO